Agricultura cafeeira em minas após a era do ouro

                A decadência da produção aurífera nas últimas décadas do século XVIII desencadeou um movimento migratório das vilas do ouro para outras áreas da Capitania das Minas Gerais. Nos primeiros anos do século XIX, as lavouras de café da Capitania do Rio de Janeiro atingiram Minas Gerais pelos vales dos afluentes do Rio Paraíba do Sul. Localizaram-se, inicialmente, na Zona da Mata, nas fazendas dos seus desbravadores, cujas famílias eram descendentes das regiões de Vila Rica, do Serro e do Sul de Minas. 

                Rapidamente a cafeicultura se difundiu, transformando-se na principal atividade da Província de Minas Gerais durante o Brasil Império e agente indutor do povoamento e do desenvolvimento da infra-estrutura de transportes e de energia. A prosperidade trazida pelo café desencadeou um primeiro surto de, reforçado, mais tarde, pela política protecionista implementada pelo Governo Federal após a Proclamação da República Brasileira Juiz de Fora despontava como a principal cidade mineira à época, estimulado pela imigração de alemães e italianos para trabalhar nas fazendas e nas fábricas. Construíram-se as primeiras usinas hidroelétricas, ferrovias e rodovias de Minas Gerais

Texto pesquisado e elaborado por: Otavio Droghetti

Bibliografia

                A agricultura em Minas Gerais é menos praticada por causa do relevo da região, que é muito acidentado, o que a dificulta e faz com que os mineiros tenham que praticá-la de outros meios, mais caros e complicados do que o habitual.

© 2009 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode